Luz intensa pulsada | Dermatologia | Dr. Gustavo Medronha

Luz intensa pulsada

 

A luz intensa pulsada (LIP) é uma tecnologia que, através da emissão de energia luminosa no tecido-alvo, permite tratar diversas condições dermatológicas, especialmente lesões de pele pigmentares e vasculares.

Quais são as indicações de luz intensa pulsada?

- Melanoses solares (“manchas do sol”);
- Efélides (sardas);
- Rosácea;
- Telangiectasias e aranhas vasculares (pequenos vasos sanguíneos dilatados na superfície da pele);
- Acne ativa;
- Estrias vermelhas;
- Cicatrizes recentes.

Pode ser utilizada no rejuvenescimento da pele?

Sim. A luz intensa pulsada estimula a produção de fibras colágenas e elásticas, reduzindo rugas finas e melhorando a textura da pele.

É indicada na remoção de pelos?

Sim. No entanto, existem lasers mais indicados para a remoção de pelos indesejados.

A aplicação de luz intensa pulsada é dolorida?

O procedimento é muito bem tolerado. Assim, não há necessidade do uso de cremes anestésicos.

Quantas sessões são necessárias?

A quantidade de sessões depende da condição de pele a ser tratada. No caso de rosácea, por exemplo, são indicadas entre três e seis sessões.

Existem contraindicações?

Sim. Gestação, pacientes que utilizam medicações fotossensibilizantes e que apresentam doenças que pioram com a luz, como lupus eritematoso, são contraindicações ao uso de luz intensa pulsada.

Uma importante orientação é que não se deve aplicar luz intensa pulsada em pessoas bronzeadas e com tom de pele escuro pelo risco de queimaduras.

Quais são os efeitos adversos?

Leve sensação de ardor e edema (inchaço) transitório podem ser observados.

Os efeitos adversos mais graves, como manchas, queimaduras e cicatrizes, são raros e estão diretamente associados ao mau uso da tecnologia e ao excesso de energia luminosa empregada. Por isso, sempre procure profissionais de saúde que sejam aptos a realizar tratamentos com lasers e luz intensa pulsada.

Dr. Gustavo Medronha
Dermatologista

Entre em contato